A Carboxiterapia é definida como a administração terapêutica de dióxido de carbono (CO2) através de injeção hipodérmica no tecido subcutâneo diretamente nas áreas afetadas, causando a destruição das células adiposas e facilitando a vascularização da região tratada.

A utilização da Carboxiterapia estende-se da celulite (lipodistrofia ginoide) à flacidez e estrias, às cicatrizes inestéticas e ao tratamento complementar nas lipoaspirações para reduzir as irregularidades e diminuir o aspeto “enrugado” da pele, pela melhoria da elasticidade cutânea.

Estes benefícios decorrem da promoção de vasodilatação arteriovenosa local, do aumento do fluxo sanguíneo regional, das drenagens sanguínea e linfática e da lipólise, resultando destas ações, maior disponibilidade de oxigénio para o tecido, aumento no turnover de colágeno e redução da quantidade de tecido adiposo.

Não existem muitas contra indicações adversas sistémicas descritas sendo, portanto, um método seguro, de fácil execução e amplamente utilizado na Europa e EUA.