Prevenção e tratamento do cancro de pele

O cancro de pele é curável em mais de 90% dos casos e seu diagnóstico e tratamento precoces fornecem-nos a chave para alcançar uma taxa de cura ainda mais alta.

O cancro de pele é curável em mais de 90% dos casos e o seu diagnóstico e tratamento precoces fornecem-nos a chave para alcançar uma taxa de cura ainda mais alta.

A dermatoscopia computadorizada permite a análise da lesão, avaliação das estruturas, registo e armazenamento das imagens da lesão para acompanhamento.

Na prevenção e diagnóstico precoce do cancro de pele, o trabalho deve ser realizado com excelência médica.

As lesões mais frequentemente encontradas são queratoses actínicas múltiplas, pré-cancerosas, formando campos do cancro. Esses pacientes que apresentam múltiplas lesões, se não forem tratados, desenvolverão cancro de pele no futuro e serão os que mais beneficiarão com os avanços em Dermatologia.

 

Vídeo

Dermatoscopia digital

A Dermatoscopia Digital é uma técnica não invasiva utilizada no diagnóstico de diferentes lesões, principalmente lesões pigmentadas suscetíveis de poderem configurar um diagnóstico de cancro. No cancro de pele, a deteção precoce é essencial, uma vez que a maioria é curável.

Este aparelho ajuda a explorar a pele de uma forma global e a detetar alterações morfológicas rapidamente e de forma mais precisa do que a vista desarmada, sendo por isso utilizado frequentemente como forma de rastreio do cancro de pele. Além da deteção precoce de cancro de pele, a dermatoscopia digital permite a obtenção de imagens nítidas e fiáveis essenciais para o diagnóstico e acompanhamento de distúrbios capilares e outras doenças cutâneas.

O cancro de pele pode desenvolver-se a partir de lesões de risco ou simplesmente surgir na pele previamente saudável. Uma revisão anual por um dermatologista é importante para explorar as lesões existentes e descartar o aparecimento de lesões cancerígenas ou suspeitas.

Se você acha que está em algum dos seguintes grupos de risco, consulte um dermatologista:

  • Tem pele clara?
  • “Queima-se” facilmente ao sol?
  • Tem muitos sinais?
  • Detetou alterações nos seus sinais recentemente?
  • Sofreu queimaduras solares em criança ou adolescente?
  • Tem histórico familiar de cancro de pele?
  • Já teve cancro de pele no passado?
  • Está regularmente exposto à luz solar ou radiação UVA?